Dicio apresenta as palavras do ano de 2021

Foi com o mês de dezembro quase a terminar que, finalmente, divulgamos a lista das palavras do ano, ou seja, as mais pesquisadas no nosso dicionário. No Dicio, o dicionário online de português mais consultado no Brasil, as palavras relacionadas com a COVID-19 dominaram as consultas ao longo de 2021.

A palavra “genocida” bateu o recorde de procura no mês de março e consolidou-se como a mais pesquisada no decorrer da temporada.

A Covid-19 impulsionou as palavras do ano

Depois de ter dominado os termos de pesquisas de 2020, a Covid continuou a ser um tema recorrente, seja de forma direta, seja de forma indireta. Exemplo disto foi o caso da palavra que liderou as pesquisas. Sem que “genocida” tenha uma ligação direta à situação pandémica, o interesse pelo termo foi motivado por discussões políticas relacionadas com a atuação do governo brasileiro ao longo da pandemia. A propósito, quando o Brasil completou um ano da chegada do vírus ao país, em março, a própria palavra “pandemia” voltou com força.

O termo “comorbidade”, que significa a associação de duas ou mais doenças, foi a segunda colocada no top 10 das mais pesquisadas no Dicio. O pico de consultas no dicionário digital pela palavra aconteceu no mês de abril. Foi o período em que a campanha de vacinação contra a COVID-19 começou no Brasil. Naquele momento, as autoridades brasileiras de saúde anunciaram que a imunização começaria pelos grupos prioritários, que incluíam idosos e pessoas com “comorbidades”.

Com acessos bem distribuídos ao longo do ano, o vocábulo “pandemia” apareceu entre os mais pesquisados, em oitavo lugar. E, no levantamento das buscas mês a mês, “puérpera” foi o termo mais consultado em maio, mês em que as gestantes e as puérperas foram convocadas para a vacinação.

 

Palavra “amor” no top 5

No ranking das 10 palavras mais pesquisadas também estão os termos “empatia”, “amor”, “perseverança”, “respeito” e “estima”. Embora possam ser associados, indiretamente, à situação vivida no país no segundo ano de pandemia, os termos foram impulsionados por situações bastante distintas e até inusitadas.

A palavra “empatia” ganhou destaque quando foi anunciado o tema da redação do ENEM, a prova de admissão ao ensino superior: “A falta de empatia nas relações sociais no Brasil”.

“Perseverança” atingiu o seu auge quando o novo rover da NASA, o Perseverance, chegou a Marte. Já a palavra “respeito” foi muito utilizada no discurso de personalidades como Anitta, Ana Carolina e do jornalista Marcelo Cosme em junho, o Mês do Orgulho LGBTQIA+.

O termo “estima” também integra o top 10 do Dicio, mas por um motivo diferente do usual. O interesse pela palavra não foi no sentido de afeto, mas ao cálculo aproximado de alguma coisa. Ou seja, “estima” entrou em evidência sempre alguma notícia relacionou estimativas à pandemia.

A força da televisão

 A lista das 10 palavras mais consultadas no Dicio inclui, ainda, termos que despertaram o interesse ou a curiosidade dos brasileiros em função do uso por celebridades da televisão. A gíria “basculho” é disto um exemplo.

Foi um participante do programa Big Brother Brasil, numa discussão dentro da casa que, exaltado, disse: “Eu não vim do lixo pra perder pra basculho”. Porém, questionado sobre o significado da palavra, o concorrente não quis dar explicações. Este facto, claro, provocou uma avalanche de consultas ao nosso dicionário digital.

 O levantamento feito pelo Dicio também revela outras palavras, com grande procura, associadas à programação da televisão. Por exemplo, o termo “hetero”, que alcançou a décima colocação na lista, foi uma das palavras mais repetidas na edição passada do Big Brother Brasil. Da mesma forma, “limosidade”, campeã de visualizações em janeiro, surgiu por um motivo curioso. No momento da sua eliminação do reality show, a cantora Karol Conká lamentou não ter conseguido controlar a sua “animosidade” durante a competição. Certamente o público interpretou mal aquilo que ouviu, uma vez que, no mesmo momento, a procura por “limosidade” alcançou um enorme pico de pesquisas.

Diserto não é disserto

Assim como no caso de limosidade, também com base num equívoco, a palavra “diserto” foi a número um do mês de outubro. A motivação foi o engano do apresentador Luciano Huck, da Rede Globo, que confundiu os termos e pronunciou “disserto”.

Em conclusão, podemos afirmar que a programação da televisão aberta ainda  ainda tem uma forte influência sobre o público brasileiro. Da mesma forma, podemos constatar que as pessoas, cada vez mais, acompanham a programação televisiva com o telemóvel nas mãos.  Isto porque 73% dos cerca de 100 milhões de visitas únicas ao dicio.com.br provêm de dispositivos móveis. Ao cruzar os dados, percebemos que o público pesquisa os termos em tempo real durante a programação da tv, daí as constatações a que chegamos.

 Outros vocábulos também tiveram relevância para os brasileiros em períodos específicos do ano. São palavras que se tornaram populares em determinados momentos, com picos muito acima da média.

No mês de novembro, por exemplo, a palavra mais pesquisada foi “politraumatismo”. A razão deste pico foi a repercussão do acidente aéreo que vitimou a cantora Marília Mendonça.

Monitorizar para definir tendências

A elaboração do ranking das palavras do ano é o resultado de um acompanhamento permanente, realizado pela nossa equipa. Esta monitorização diária permite-nos identificar tendências de pesquisas entre milhares de palavras. Desta forma, conseguimos definir prioridades para atualizações, elaborar conteúdos extra e até mesmo introduzir novas palavras no dicionário. Desta forma, pretendemos continuar relevantes para milhões de pessoas todos os anos. Ou seja, por mais conteúdos e distrações que a internet proporcione, no que depender de nós, o dicionário continuará a ser uma das fontes preferidas por quem procura o significado das palavras.

Palavras do Ano

Lista das mais pesquisadas no Dicio em 2021

  1. Genocida
  2. Comorbidade
  3. Empatia
  4. Basculho
  5. Amor
  6. Perseverança
  7. Respeito
  8. Pandemia
  9. Estima
  10. Hetero

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn